Os servidores dos Correios de Goiás paralisam atividades por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (24/3), por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 

De acordo com a assessoria de imprensa do Sintect-GO, os funcionários continuam trabalhando sem nenhuma decisão de quarentena ou medidas de segurança, por isso, o serviço deve ser paralisado.

A deliberação da interrupção das atividades nos Correios em Goiás acontecerá nesta terça-feira (24/3), a partir das 8h30, durante Assembleia Geral Extraordinária em Goiânia, em frente à sede do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e suas Concessionárias, Permissionárias, Franqueadas, Coligadas e Subsidiárias no Estado de Goiás (SINTECT-GO).

O motivo dos servidores dos Correios de Goiás paralisarem atividades por tempo indeterminado

De acordo com o Sintect-GO, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) está demorando para tomar providências efetivas em relação ao combate do coronavírus e o medo está tomando conta dos trabalhadores.

Conforme nota, os trabalhadores não contam com as medidas básicas de prevenção. “Os trabalhadores (as) dos Correios não têm álcool em gel 70%, nem máscaras e, em muitas unidades, faltam toalhas de papel e copos descartáveis! A falta do álcool em gel 70% atrapalha a execução das atividades nas ruas sem a possibilidade de recorrer imediatamente à água e sabão, contrariando todas as normas de segurança e vigilância”, escreveu.

Além disso, outra justificativa para a suspensão do serviço é de que os carteiros estão totalmente expostos à contaminação pelo coronavírus, pois pela manhã organizam trabalho externo em uma aglomeração de pessoas. Já a tarde, eles saem de casa em casa para entregar as cartas, inclusive para clientes que estão cumprindo quarentena com suspeita do vírus. 

Segundo o Sintect-GO, os atendentes comerciais também ficam expostos, pois tem contato direto com vários clientes no balcão e também os OTTs, que trabalham em ambiente fechado onde se concentram inúmeros funcionários ao mesmo tempo, efetivos e terceirizados.

“O governo e a empresa precisam urgentemente tomar medidas concretas para a suspensão das atividades dos trabalhadores(as) dos Correios para conter a proliferação do vírus, pois paralelamente à conscientização das pessoas para o isolamento também há a decisão de que os Correios continuarão atuando normalmente com os funcionários sendo expostos sem nenhuma medida protetiva”, concluiu o Sintect-GO por meio de nota.

FONTE: Dia OnLine