Servidores da Unidade Prisional Regional (UPR) de Quirinópolis, pertencente à 6ª Coordenação Regional Prisional (CRP) da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), evitaram a entrada de celulares e diversas porções de drogas no presídio, em duas ocorrências diferentes. Os materiais foram arremessados sobre o muro em direção ao pátio do banho de sol.

De acordo com o coordenador da 6ª regional, Marcelo Tumeleiro, as interceptações ocorreram quando os servidores penitenciários realizavam os procedimentos operacionais padrão de rotina, evitando que os ilícitos chegassem ao destino final.

Na primeira ocorrência, foram interceptadas cerca de 116 gramas de substância análoga à maconha e um aparelho celular. Já na segunda, os servidores apreenderam 235 gramas de substância semelhante à maconha, dois celulares e três carregadores. Os ilícitos foram entregues às autoridades policiais competentes para os devidos fins, na forma da lei.

A direção do presídio abriu procedimentos administrativos internos para apuração dos fatos e aplicação das sanções disciplinares ao destinatário do material, conforme determina a Lei de Execução Penal.

A ágil ação dos servidores ressalta a aplicação do conjunto de medidas estabelecidas pelo Governo do Estado, em consonância com a Secretaria de Segurança Pública e a DGAP, para coibir a entrada de ilícitos nas unidades prisionais goiana.

FONTE: DGAP