Cerca de 600 funcionários de 27 municípios goianos já aderiram à greve dos Correios, o equivalente a 20% dos mais de 3 mil funcionários da estatal em todo Estado, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores nos Correios em Goiás (Sintect-GO).

A paralisação deve prejudicar vários serviços, como as entregas do comércio eletrônico, de empresas como Mercado Livre e Amazon.

Os trabalhadores dos Correios entraram em greve nacional por tempo indeterminado no início da madrugada de ontem. Eles são contra a proposta de reajuste salarial de 0,8%, a retirada de pais e mães do plano de saúde, a exclusão do vale cultura, a redução do adicional de férias de 70% para 33% e o aumento da mensalidade do convênio médico e da coparticipação em tratamentos de saúde.

Os funcionários também criticam a proposta da estatal.

A consequência mais imediata da paralisação deve ser o atraso na entrega de encomendas. O Mercado Livre já exibe um aviso em compras entregues pela empresa: “O envio deste produto é pelos Correios e, no momento, estão em greve. Por isso, a data de entrega é mais longa do que de costume.

Ontem, os trabalhadores em greve se reuniram em frente à sede dos Correios em Goiás, na Praça Cívica. O secretário geral do Sintect-GO, Elizeu Pereira da Silva, disse que a o movimento já esperava que os Correios entrassem com pedido de dissídio, como em anos anteriores.

FONTE: O Popular